Como adquirir e evoluir habilidades?

habilidades

Hoje venho falar de um assunto que tem ganhado destaque em webnarios, palestras e workshops: como desenvolver novas habilidades? Na era em que vivemos não basta ter conhecimento técnico sobre um determinado assunto. É necessário ter experiência e habilidade para colocar em prática o conhecimento que possui e para isso, é necessário trabalhar o lado “humano”. O processo é simples e o que vai determinar o sucesso dessa trajetória é a determinação da pessoa que deseja desenvolver tais habilidades alinhadas com o empoderamento de um orientador.

download

Em 1980, os irmãos Stuarty e Hubert Dreyfus(filósofo) desenvolveram um modelo de aquisição de novas habilidades, chamado Modelo de Deyfrus. O modelo foi construído baseado nos campos da educação levantando como os estudantes adquirem habilidades através de instrução formal e prática, dividido em 5 níveis, da razão a intuição: Novato, Iniciante, Competente, Proficiente e Expert. Vejamos cada nível!

NOVATO: O aprendiz precisa de regras claras e independentes de contexto (como uma “receita de bolo”) para guiar seu trabalho. Geralmente não sabe lidar com problemas, pois não tem experiência para tomar decisões sozinho. Também não toma responsabilidade pelas regras que segue, a tal famosa frase: “Eu estava apenas seguindo ordens!”.

INICIANTE: O aprendiz  começa a tomar decisões mais básicas, pois já possui alguma experiência e percebe que pode adaptar algumas regras. Ainda não toma decisões contrárias às regras, não sabe lidar com problemas inesperados e não experimenta a sensação de responsabilidade pessoal.

COMPETENTE: O aprendiz  já questiona as regras de acordo com sua experiência e percebe consequências a longo prazo. Começa a tomar decisões de acordo com o contexto, resolver problemas inesperados e a tomar a responsabilidade sobre seus atos.

PROFICIENTE: O aprendiz  se utiliza de poucas regras. Começa a valorizar mais sua intuição e sempre analisa o contexto em que está inserido de acordo com o que já experimentou. Sente-se completamente responsável por suas decisões e respectivas consequências.

EXPERT: O aprendiz expert usa todo conhecimento e experiência que adquiriu e faz tudo parecer muito fácil. Toma decisões e resolve problemas sem esforço, pois reconhece padrões e ambientes rapidamente. Geralmente é referência por Novatos e Iniciantes.

Um ponto interessante para ser lembrado é que pessoas nos níveis mais baixos (Novato ou Iniciante) costumam se sobreavaliar, enquanto as pessoas nos níveis mais altos (Proficiente e Expert) são bem mais críticos em relação ao seu trabalho e nível de conhecimento.

keynote-rupy-natal-2014-67-638Onde eu aplico o Modelo de Dreyfus?

O modelo pode ser aplicado na verificação do progresso de desenvolvimento de habilidade, pode ajudar a definir um nível desejado de competência. Ele também pode ajudar através do entendimento de necessidades e estilos aprendizados, e ainda pode determinar quando um aprendiz está preparado para ensinar outros (como o processo de Mentoring por exemplo).

Por isso, utilizo o modelo para levantar competências em profissionais e acompanhar a evolução. Primeiro levantamos os pontos positivos (qualidades e virtudes) e os pontos a melhorar (pontos visiveis que precisam ser trabalhados). Utilizamos as qualidades para alavancar as competências. Após levantarmos as competências a serem trabalhadas, definimos ações para melhorarmos e acompanhamos cada ação classificando os níveis de aprendizado (Novato, Iniciante, Competente, Proficiente e Expert). Dessa forma conseguimos acompanhar a evolução das pessoas e ajudá-las no que for possível.

Esse foi mais um texto! Espero ter sido esclarecedor!

Agora é praticar! Bora aplicar na sua empresa 🙂

Até mais!

 

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: