Lean … O que essa palavra significa?

Hoje venho escrever sobre um assunto que conheci há muitos anos atrás, trabalhando com Engenharia de Produção ( de 2004 a 2007), e que agora esta em voga por ser aplicada em Desenvolvimento de Software Ágil. A palavra “Lean”  vem de Lean Manufacturing – Sistema Toyota de Produção, desenvolvido pelo executivo da Toyota, Taiichi Ohno, durante o período de reconstrução do Japão após a Segunda Guerra Mundial. Lean Manufactoring baseia-se numa gestão focada em reduzir desperdício, com objetivo de ter mais qualidade nos produtos e serviços desenvolvidos, atendendo melhor o cliente. Eh para realizar todo esse trabalho, o Lean possue 2 pilares que suportam a entrega contínua, enxuta, no menor tempo e com qualidade:

  • Just-In-Time (conhecido como JIT): produção que determina que nada deve ser produzido, transportado ou comprado antes de ser vendido ou encomendado;
  • Jidoka: automação com inteligência humana que fornece as máquinas e operadores, capacidade de detectar um problema que ocorreu e interromper imediatamente o trabalho para avaliar o que aconteceu e como podemos melhorar.

Além disso, o “Lean” inclue processos de análise contínua como: Kanban (sistema de abastecimento e controle de fluxos produção),Heijunka (ato de nivelar a variedade ou o volume de itens produzidos em um processo ao longo de um período de tempo), PDCA (leia mais aqui!), Kaizen (atividades que melhorem continuamente todas as funções e envolvam todos os funcionários) e o Poka-Yoke (processo a prova de erros e falhas, destinado evitar defeitos na fabricação de produtos e serviços). 

Logo, para você entender melhor, selecionei os principais pontos que o Lean Manufactoring aborda no desenvolvimento de um produto/serviço:

  • Processos “pull” (puxar) – em vez dos produtos serem “empurrados” para o fim da cadeia de produção, são “puxados” pelo cliente final, ouvindo e priorizando o que traz valor de negócio;
  • Qualidade – sempre buscar detecção e solução dos problemas na sua origem, com intuito de não ter defeitos;
  • Desperdício – eliminar atividades que não têm valor, que aume
    nta o trabalho, que traz retrabalho e cria contra-tempos (pessoas, espaços, ferramentas, ambientes, documentos);
  • Melhoria Contínua – inspecionar, medir, encontrar as falhas e corrigí-las o quanto antes para aumentar produtividade;
  • Manutenção – cultivar um relacionamento saudável com os fornecedores para ter melhores negociações com custos, informações e possíveis riscos que podem ocorrer.
  • Flexibilidade – através de diferentes células, produz com velocidade variedades de produtos, sem comprometer a qualidade;

Para saber mais sobre desenvolvimento Lean, sugiro ler os livros de Mary e Tom Poppendick, mestres na aplicação de Lean na TI, tanto em teoria como prática. Seguem o nome dos livros:

  • Implementando o Desenvolvimento Lean de Software
  • Lean Software Development an Agile Toolkit

… Mas Annelise, de onde vem o Lean Startup???

O Lean Startup é uma criação do Eric Ries baseado no Lean Manufactoring. Eric utilizou várias metodologias desenvolvidas e aplicadas pela Toyota para desenvolver software. Inclusive escreveu um livro, muito didático chamado: “A Startup Enxuta”.      O Lean Startup defende a criação de protótipos rápidos, projetados para validar hipóteses, envolvendo mais seus clientes, internos ou externos, para coletar feedbacks e responder rapidamente a mudanças de negócios utilizando Modelo Ágil (leia mais sobre Modelo Ágil clicando aqui! ). Além disso, o Lean Startup ainda pode ser conhecido como Lean Thinking ( que quer dizer pensamento enxuto aplicado ao processo de empreendedor, com intuito de diminuir o desperdício e trazer mais valor de negócio). Quando pensamos de forma enxuta sobre o produto/serviço, usamos o MVP ( Produto Minimamente Viável), que é uma estratégia usada para validar suposições sobre o mercado e o tempo necessário para desenvolver e entregar valor. 

Portanto, podemos dizer que toda vez que você ouvir ou ver essas palavras Lean e Agile já sabem que trata-se de desenvolvimento de software de forma enxuta, com qualidade e que entrega valor de negócio para o cliente.

Eu continuo aqui, fã do trabalho e estudo de Taiichi, Mary Poppendick, Tom Poppedick e Eric Ries que observando, coletando e adaptando trouxeram modelos simples para agilizar a concepção, desenvolvimento e entrega de produtos/serviços.

Eh por último, para finalizar o artigo, deixo uma reflexão do Mestre Taiichi Ohno, sobre rapidez x qualidade! Vale a pena refletir 🙂

“A tartaruga é mais lenta, mas consistente. Causa menos desperdício e é muito mais desejável do que a lebre veloz que corre à frente e depois para, ocasionalmente, a cochilar. O sistema Toyota de Produção pode ser realizado somente quando todos os trabalhadores se tornam tartarugas.”– Taiichi Ohno, 1988

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: