O que implanto primeiro: PROCESSO ou SOFTWARE?

Depois de muitos anos trabalhando em grandes empresas, percebi que a maioria constrói todo o seu processo de trabalho sobre o software que comprou e que é utilizado. Claro que existe todo uma questão burocrática para essa compra ser realizada… parcerias, acionistas, visibilidade para as empresas…. Mas meu foco nesse texto é operacional!
Operacional são as pessoas que trabalham todos os dias com softwares, que muitas vezes não refletem o que realmente precisam para ter uma entrega com qualidade.
Vocês acham correto um software determinar como trabalhar em sua área?
Se formos pensar na implantação de processos e metodologias, comprar software e aplicar no dia-a-dia, antes que as pessoas “carreguem no sangue” o procedimento e a cultura do seu trabalho é um erro e muito grave por sinal.
Softwares não podem ditar o que você deve ou não deve fazer. Na verdade, softwares são ferramentas que nos auxiliam, nos suportam no processo. Utilizamos para controlar e monitorar o processo. Assim facilitamos a nossa rotina e minimizamos falhas humanas.
Mas para chegarmos ao ponto de utilizarmos um software é extremamente necessário ter implantado o processo antes, envolvendo as pessoas em todas as etapas, descrevendo os marcos, os insumos e artefatos.
Pessoas precisam aplicar e reciclar seus conhecimentos e experiências para obterem excelência no seu trabalho. Quanto mais as pessoas executam as tarefas, melhores profissionais se tornam, pois erram, corrigem, compartilham ideias e melhorias, evoluem o processo o tempo todo.
Nesse momento, que não temos um software ainda para nos suportar, utilizamos quadros, post its, desenhamos fluxos e produtos para criarmos ou inovarmos um serviço. Temos a liberdade e a flexibilidade favor do nosso trabalho, sem colocarmos limites. O trabalho fica mais dinâmico e flui melhor com o comprometimento e as ideias das pessoas.
Um bom exemplo para pensarmos em implantação de processo são as dinâmicas para trabalharmos com Scrum ou Kanban. Utilizamos o mínimo de recursos (como citado na linha acima) e nada mais! Todo o resto no processo de trabalho é disciplina e interação entre as pessoas. Além disso, qualquer empresa que queira viabilizar um projeto ágil pode experimentar e adaptar, pois o investimento é pequeno comparado aos softwares de monitoração de projeto. Não existem patentes, licenças ou manutenções a serem pagas. Por isso a metodologia ágil tem crescido tanto entre Start Up´s, pequenas e médias empresas.
Logo, o conselho que deixo nesse post pra você é que levante quais são suas reais necessidades. Questione-se o que você tem no momento (recursos) e o que você precisa ter; o que ganha e o que perde se colocar um software para resolver todas as questões da sua rotina. Se possível, divida essas questões com as pessoas envolvidas no processo, pois elas decidirão a melhor forma de trabalhar.
Até semana que vem pessoal!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: