Scrum Master, Agile Coach… Como fazer uma boa contratação?

Há poucos dias atrás, recebi de um email de uma leitora do blog pedindo dicas para contratação de um Scrum Master ou Agile Coach. Foi nesse momento que vi a necessidade de escrever sobre o assunto, pois para muitos, Scrum Master é o mesmo que um Agile Coach e isso não é verdade. Há uma grande diferença entre os dois papéis e você pode ler clicando aqui, caso não tenha ainda lido. Aliás, tem muito profissional por ai que nem foi Scrum Master e ja virou um Agile Coach… Não existe isso, pois o profissional precisa desenvolver competências para ocupar um papel. O processo é evolutivo.
Mas então… se há diferença nas atividades que cada papel desempenha, também há diferença na forma que contratamos ambos. Eh se você nunca teve essa percepção, é melhor acordar e ler o resto do artigo, pois vou te dar dicas muito valiosas nesse texto. Bora!

Para se contratar um Scrum Master, as empresas focam muito na realização das cerimônias, principalmente num modelo de Retrospectiva que mostre que o profissional está apto a fazer. Claro que é importante o Scrum Master saber como conduzir e garantir as cerimônias. Mas esse não é o desafio maior de Scrum Master! O maior desafio no dia-a-dia de um SM é lidar com os problemas que aparecem, pois precisa ficar neutro no momento de confusão, precisa aplicar técnicas e ferramentas, trazer visualização para o time do problema e auxiliar na busca de soluções. Nesse momento de caos é quando vemos realmente as competências de um Scrum Master… Eh ai eu te digo, que a grande maioria dos processos seletivos das empresas que trabalham com Metodologia Ágil não abordam esse cenário, simplesmente por não saberem observar, analisar e opinar! Mas, eh ai…  o que você deve fazer para melhorar a sua contratação? Primeiramente, você vai seguir o processo primário e simples de entrevista com perguntas baseadas na experiência profissional. O segundo passo é passar para o candidato um cenário problemático que ocorre na empresa com uma certa rotina. Esse cenário precisa ser passado um dia antes, contextualizando e pontuando o problema, que o candidato deverá ser capaz de resolver com ajuda de ferramentas e técnicas, utilizando post it, flip chart, canetas, quadro branco… e o mais importante, o time! Sim! O time que o Scrum Master vai trabalhar precisa estar presente na dinâmica. Assim eles já serão apresentados e saberão se o candidato vale a pena ou não ser contratado. Logo, fica sobre seu critério dizer para o candidato se o time é o mesmo que ele vai trabalhar, ou não dizer. Importante lembrar, que além do cenário caótico, dos materiais que pode usar e do time presente, é necessário reservar uma sala para fazer a dinâmica e colocar um tempo para terminar a dinâmica (timebox). Eu costumo dar 30 minutos para o candidato. A avaliação do desempenho do candidato que o contratante deverá fazer junto com o time deve focar:

  • nas ferramentas e técnicas que utilizou para ajudar ao time na solução;
  • como se comportou e reagiu as opiniões que cada pessoa do time colocou;
  • se teve empatia com o time e o time com o candidato;
  • como desencadeou e demonstrou todas ações necessárias que o time colocou para resolver o problema;
  • se conseguiu desenvolver bastante o trabalho no tempo estipulado na dinâmica, não sendo importante ter finalizado a discussão.

Essa avaliação pode ser feita após a dinâmica, entre o time e o candidato, desde que as pessoas envolvidas tenham experiência em dar feedbacks. Ou pode ser feita após o candidato terminar a dinâmica e for embora, com o time. Ambos podem ser realizados dessa forma! Mas se não tiver um time maduro para dar feedbacks, que tenham “tato” com as palavras e os gestos, melhor não arriscar. Dê um feedback depois para o candidato.

Quanto a entrevista de um Agile Coach, o processo é bem mais amplo, pois além de avaliar o candidato comportamentalmente, utilizando o modelo acima que eu passei, ele também precisa ser avaliado quanto ao seu conhecimento sobre Métodos Ágeis, Facilitação, Coaching, Produto/Negócio e Transformação, conforme o framework de competências de um Agile Coach (clique aqui para ver!). Você pode aplicar uma prova com questões discursivas, pode fazer uma entrevista com o Agile Coach mais experiente da empresa, pode pedir para facilitar uma Inception Ágil, pode aplica o Moving Motivators … Ou seja, o processo seletivo de um Agile Coach precisa ser mais intenso e puxado do que um Scrum Master, pois ele é um papel que não foca só num framework.

Portanto, defina melhor o formato para seus processos seletivos. Não fique só na entrevista, porque através das dinâmicas é que realmente analisamos se o profissional tem potencial para ser um bom facilitador, agente de mudanças ou não.

…E caso queiram ler mais sobre esses assuntos que compõem o papel de Scrum Master e um Agile Coach, clique nos links abaixo:

Espero ter ajudado a nossa leitora e tantos outros!

Até o próximo post amigos 🙂

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: