Cultura Maker… Sua ideia não pode ficar no papel…

…Não mesmo! Se sua ideia ficar no papel, você perderá a oportunidade de implementá-la e dará a chance de outra pessoa fazer. A “Cultura Maker”, como o próprio nome já diz, dita um comportamento onde o valor consiste em você mesmo estudar, planejar e executar as suas ideias, sozinho ou em grupo. O nome pode parecer moderno para os dias de hoje, mas “Cultura Maker”, na minha opinião, já vem de longos anos atrás.

Em 1995 me formei no Magistério e a minha curiosidade sempre foi como aprender e ensinar pessoas conteúdos, pois cada indivíduo tem uma forma de absorver o conhecimento. Com experiência própria e domínio sobre o assunto, digo que esse movimento é antigo e foi iniciado por Jean Piaget (biólogo e psicólogo do século XX ). Li muito sobre Piaget e tive a oportunidade de lecionar numa escola que aplicava a metodologia que ele criou em 1996, o que pra mim foi um privilégio! Piaget, na minha visão, defendia uma abordagem multidisciplinar na construção do conhecimento e fundou a teoria do “Construtivismo”, onde o método procura instigar a curiosidade do indivíduo, levando-o encontrar as respostas a partir de seus próprios conhecimentos e experimentos de interação com tudo que o cerca. O “Construitivismo” também enfatiza a importância do erro, não como um tropeço, mas como um trampolim na rota da aprendizagem, pois é errando que se aprende, corrige e melhora. Faz parte do processo de evolução.

Mas 1960, mais recentemente, Seymour Papert, um matémático e educador criou o termo “Construcionismo”, que pegava uma carona na teoria de Jean Piaget.  No Construcionismo, o conhecimento surge de uma ação, uma execução que gere um produto, através de ferramentas (como computadores, peças, ferramentas, etc…). Ou seja, o conhecimento vem através de um processo construtivo, onde o indivíduo age em etapas, como se estivesse executando um projeto, buscando alcançar um objetivo, com o que foi aprendido. Isso leva o indivíduo a relacionar teoria (conhecimento) com a prática (experiência), além de motivar a busca por melhorias e soluções, constantemente.

Mas o que isso tem haver com tecnologia?

Tem tudo haver! Através desse movimento que temos inovação, criatividade, melhorias e parcerias pra construir projetos. O Movimento Maker que vemos nos dias hoje, na minha opinião, conseguiu unir não só as pessoas e a tecnologia. Mas o Construtivismo ( de Piaget) com o Construcionismo ( de Papert) trazendo o slogan do “faça você mesmo” ou “do it yourself (DIY)”, baseada na idéia de que pessoas comuns, como eu e você, podem construir, desenvolver, consertar, modificar e fabricar os mais diversos tipos de objetos e projetos com suas próprias mãos! Eh podemos mesmo, acredite!… Por isso que vemos tantos espaços, eventos e encontros em empresas ou universidades realizando esse tipo de iniciativa. O intuito é ter um lugar onde, makers que possuem diversos tipos de conhecimento, compartilhem idéias e vivências sobre os mais diversos ramos, aplicado a um produto ou serviço.

Resumindo, eu sou fã do Movimento Maker, pois traz um novo formato de gerar e absorver ensino-aprendizado entre pessoas. Traz interação, troca, comprometimento, inspiração, motivação, colaboração… Eh o mais importante pra mim… traz liberdade de expressão! As pessoas trabalham e se dedicam a projetos que elas gostam de fazer. É por satisfação e não por obrigação! Isso tem um impacto absurdo na vida pessoal, carreira profissional, no ambiente e na sociedade!

Bora fazer parte do Movimento Maker 🙂

Até mais pessoal!

2 comments on “Cultura Maker… Sua ideia não pode ficar no papel…
  1. Oi Annelise. Adorei o seu post! Me identifico muito com a cultura maker, principalmente pela democratização que abre um caminho próprio, sem a necessária filiação às instituições de ensino tradicional. Estou adorando aprender com quem vive o que ensina na realidade e passa sua experiência de “igual”. Um beijinho para vc, fica com Deus! 😉

    • Oi Flavia! Que bom que você gostou do assunto. Na verdade trabalho com muitos makers e comecei a fazer a analogia com todo conhecimento pedagógico que eu tenho. Construir o conhecimento é algo mesmo fantástico! Seria ótimo se todos pensassem em produzir, desenvolver algo que ajudassem os outros, a sociedade. Fico feliz que esse movimento explodiu no país e desejo que mais e mais pessoas façam parte dele! Beijos com saudades. Fique com Deus vc tb, minha amiga :*

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: