Gerente de Projetos, Scrum Master e Agile Coach… Existe relação entre esses papéis?

…Sempre vai existir relação quando o papel é focado no desenvolvimento do trabalho de outras pessoas dentro de um time, com objetivo de alcançar metas. Os perfis para trabalhar com equipes são sempre os mesmos; pessoas comunicativas, engajadas nos projetos, que integram pessoas, buscam soluções, sabem trabalhar de forma colaborativa e comprometida com resultados, utilizando uma metodologia de trabalho. O que vai difererir o Gerente de Projetos do Scrum Master e do Agile Coach é como ele desempenha o seu papel dentro de cada Modelo de Gerenciamento de Projetos. Logo, o objetivo desse post é trazer o foco para as competências pessoais e técnicas que cada profissional possui, antes de “impor” novos papéis. Isso acontece muito em empresas que estão passando por transições, pois em vez de pensar num novo modelo, tentam fazer um “de para”, encaixar o modelo novo no antigo achando que vão ganhar tempo… Eh é evidente que esse movimento de colocar um quadrado dentro de um circulo não gera bons resultados. Traz duvidas sobre o processo, insegurança e desconforto para os funcionários e não gera os resultados esperados para executivos e clientes. Não estou dizendo que NÃO É POSSÍVEL! Estou dizendo que para ter bons resultados é necessário fazer um trabalho grande de mentoring e coaching com os envolvidos, que na maioria das vezes são vistos como “perda de tempo”. Perde-se tempo treinando e orientando no inicio, mas ganha-se velocidade, qualidade e aprendizado no final. Sem falar que geramos multiplicadores dentro da empresa, melhorando todo o processo.

A seguir, apresento uma análise técnica rápida de cada função.

      GERENTE DE PROJETOS 

O Gerente de Projetos é o profissional responsável pelo planejamento, execução e acompanhamento de um ou mais projetos. É multidiciplinar, possui jogo de cintura, técnicas de negociação e algumas habilidades como: comprometimento com prazos, organização, liderança de times, comunicação, resolução de problemas e tomada de decisão. Na maioria dos cenários, segue um modelo prescritivo de gerenciar projetos baseado em comando-controle, atuando mais com cascata ou iterativo/incremental (leia sobre esse assunto aqui!).

             SCRUM MASTER

O Scrum Master tem como papel dentro do framework Scrum, garantir que todo o processo seja seguido: ritos das cerimônias, facilitação dia-a-dia do Time, remover impedimentos, auxiliar o Product Owner com o backlog, auxiliar o time com boas práticas, ter uma comunicação e um bom networking para interagir com os envolvidos… Ou seja, precisa fazer com que todo o time comprometido, desenvolva software dentro do prazo estipulado, realizando entregas constantes com qualidade. Portanto, o Scrum Master é apenas um facilitador, não tendo responsabilidade de decidir pelo Time. Ele apenas utiliza técnicas e ferramentas para dar visibilidade as atividades e assuntos que precisam ser resolvidos.

          AGILE COACH

Agile Coach é um profissional que tem muito conhecimento sobre Agile – Metodologia Ágil (Scrum, Kanban, XP, Lean) e Coaching. Se o profissional já tem expertise em Agile, ele precisa agora desenvolver suas habilidades (observações, percepções, abordagens, facilitações), para poder auxiliar os profissionais e desenvolver o trabalho. O Coaching é um processo de autoconhecimento que o Agile Coach utiliza para trazer conhecimentos, habilidades e atitudes na vida pessoal e profissional dos funcionários, com o intuito de atingir objetivos, individuais ou em grupos dentro das empresas. Geralmente, bons Agile Coaches possuem as competências de um Agente de Mudanças (leia mais aqui!), somadas as competências de um Scrum Master experiente.

Portanto, com a descrição de cada papel e suas funções acima, ficou bem nitido a função de cada um dentro de um modelo de gerenciamento de projetos. Por isso, a importância de avaliar cada profissional, as suas competências pessoais e técnicas, antes de colocar a frente de um papel. Por exemplo, se eu aproveito um Gerente de Projetos, acostumado a trabalhar com modelo cascata, utilizando métodos prescritivos para ser um Scrum Master, sem ter tido mentoring nem coaching para assumir tal função, corro o risco do time não ter autonomia e nem motivação para trabalhar com métodos ágeis, por ter alguém que comanda as atividades. Esse é um exemplo bem comum nas empresas, que passaram ou passam por mudanças. As reclamações que os times direcionam aos Scrum Masters que foram Gerentes de Projetos, são as mais diversas possíveis, como:

  • Scrum Master quer que façamos um cronograma;
  • As restrospectivas nos desmotivam pq não trazem melhorias;
  • Scrum Master diz o que precisamos fazer tecnicamente trazendo a solução sem nos envolver.
  • Nossas atividades são micro gerenciadas diariamente.

Logo, podemos e devemos aproveitar os profissionais que possuimos nas empresas, mas dando a devida atenção e oportunidade de fazerem um trabalho que se sintam desafiados, valorizados, comprometidos e motivados. Profissionais são individuos, que para performar com qualidade, precisam ser trabalhados e acompanhados com frequência.

Pessoas não são máquinas, que quando imputadas num sistema, interpretam e convertem funções numa fração de segundos!

Até breve 🙂

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: